como-escolher-seu-curso-de-graduacao-com-base-na-nota-do-mec

Como escolher seu curso de graduação com base na nota do MEC?

Quando estamos na fase de escolhermos nosso curso universitário, várias dúvidas passam por nossa cabeça. Qual curso vou fazer? Ele tem a ver comigo? Que profissão vou seguir após finalizar a graduação? Como escolher a melhor universidade? Enfim, são tantas coisas para pensar, não é?

A escolha sobre o curso e a profissão são muito pessoais e só você pode tomar essa decisão com base nas suas preferências, habilidades, metas etc., mas, no caso da melhor universidade, o Ministério da Educação pode te dar uma mãozinha por meio de vários indicadores.

Resultado de imagem para student gif

O ponto de partida para a escolha da qualquer curso em qualquer universidade é a questão do credenciamento. Se a universidade não for credenciada e se o curso não tiver reconhecimento do Ministério da Educação, seu futuro diploma não terá o mesmo valor, por isso, procure sempre por essas informações antes de qualquer decisão. Os dados sobre o credenciamento (número e ano de expedição) costumam constar no próprio site da instituição.

O credenciamento e reconhecimento do Ministério da Educação já indicam que a universidade e os cursos universitários atendem a alguns requisitos básicos, como estrutura física, biblioteca, qualificação mínima dos docentes, conteúdos essenciais das disciplinas oferecidas, programas de estágio regulares (quando necessários), número de horas aula conforme a lei e vários outros pré-requisitos.

No Brasil, o Ministério da Educação reúne as avaliações do ensino superior num sistema específico, o SINAES (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior). É por meio do SINAES que se gera a famosa nota do MEC (sendo 0 a menor nota e 5 a maior nota), por isso ouvimos ou lemos bastante em propagandas de cursos universitários que a universidade tal tem “conceito máximo do Ministério da Educação” ou que “a avaliação do MEC comprova que somos a melhor universidade no Brasil”.

Como já é de se esperar, o SINAES conta com vários processos avaliativos, dentre eles, quatro avaliações são principais para medir a qualidade do curso e da universidade como um todo. Vamos a elas:

Resultado de imagem para atenta gif

 

  • Enade – Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes

Mais conhecido de todos, o Enade foi criado e institucionalizado apenas em 2004 devido a uma necessidade extrema de se medir, com certo grau de exatidão, a qualidade dos cursos oferecidos no país.

Existem dois momentos em que o Enade pode ser aplicado:

– No início do curso, para alunos ingressantes, assim que completarem 25% da carga horária total da graduação.

Nesse caso, será usada a nota obtida no ENEM. Se o aluno ingressante não tiver realizado o ENEM, ele não poderá ser selecionado para participar do Enade como ingressante.

– No final do curso, como concluinte.

Os alunos concluintes, se selecionados, fazem sua inscrição e respondem a um questionário no site do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), organizadora da avaliação. Somente com o questionário respondido é que os concluintes recebem as informações de data, horário e local da prova.

Ao ser selecionado, o aluno ingressante ou concluinte é obrigado a participar do Enade e sua participação consta no histórico do ensino superior.

No caso dos alunos concluintes, além do questionário preliminar, há a avaliação em si, momento em que responderão a questões específicas sobre o conteúdo de seu curso. Somando-se a isso, os coordenadores dos cursos também preenchem um questionário, ou seja, a avaliação é bilateral (avalia-se tanto o aluno quanto a gestão da graduação).

O Enade não é aplicado para todos os alunos de uma instituição de ensino superior de uma vez. Cada curso é avaliado de três em três anos e a escolha dos cursos/áreas a serem avaliadas naquele ano é feita pelo Inep em conjunto com o Ministério da Educação.

Como você pode perceber, a nota do Enade é um excelente indicativo da qualidade dos cursos, pois os questionários são específicos por área e contam também com a visão da coordenação do curso, sendo assim, verifique sempre qual é o último conceito disponível daquele curso que você tem em mente.

Resultado de imagem para interessante gif

 

  • IDD – Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observados e Esperados.

O Enade não é suficiente para medir quanto o aluno evoluiu desde a aplicação do ENEM até a aplicação do Enade, por isso, para avaliar a evolução apresentada pelo aluno após passar pelo ensino superior, é que existe o IDD. Por meio da comparação entre o conceito obtido no ENEM e o conceito obtido no Enade, o IDD avalia, de forma aproximada, se o desempenho observado está de acordo com o desempenho esperado.

O Ministério da Educação disponibiliza particularmente aos alunos o IDD, por isso, normalmente, não há divulgação dos conceitos por parte das universidades, mas caso você conheça alguém que passou por esse teste, é uma boa alternativa perguntar sobre os resultados do indicador.

 

  • CPC- Conceito Preliminar de Curso

O CPC avalia especificamente a qualidade dos cursos de graduação. Leva-se em conta o desempenho dos estudantes na avaliação do Enade e o IDD, além da qualificação do corpo docente, infraestrutura e recursos didáticos -pedagógicos. Os referenciais para a formação do conceito são fornecidos pela Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes).

Desde 2015, todas as universidades devidamente credenciadas e regulamentadas pelo Ministério da Educação têm seu CPC calculado. Apesar de não haver ampla divulgação em campanhas publicitárias, os sites das universidades frequentemente divulgam seus resultados.

Caso não encontre os resultados do CPC, isso pode ser um bom indicativo de que a faculdade em questão não obteve bons resultados.

Resultado de imagem para thumbs down gif

 

  • IGC – Índice Geral de Cursos

Basicamente, o Índice Geral de Cursos faz uma média entre os três últimos resultados obtidos pela universidade no CPC, além disso, o IDC leva em consideração também os conceitos atribuídos pela CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, também vinculada ao Ministério da Educação) para os cursos de pós-graduação nos níveis stricto sensu (mestrado, doutorado e pós-doutorado, se houver).

Todas essas avaliações são excelentes indicativos para você saber sobre a qualidade do curso em que deseja ingressar. Procurando por esses conceitos, sua escolha será mais acertada e você terá maior probabilidade em apostar numa universidade que de fato oferece ensino de qualidade com estrutura adequada para o seu desenvolvimento enquanto universitário.

QUERO SER PRÓ!

 

Leia também:

Nota do Enem: como conseguir uma bolsa de até 100%?

Humanas, exatas e biológicas: qual a diferença e qual área devo seguir? 

Qual a diferença entre vestibular e Enem?

Redação: O que mais irrita os corretores do Enem?

Como conciliar o trabalho e os estudos para o vestibular?